BEM-VINDOS AO BLOG, VISITEM TAMBÉM AS MÍDIAS SOCIAIS DECORA INTERI

Sustentabilidade: economia de energia

Vamos economizar energia.



Apesar de que no Brasil a matriz energética é considerada verde e exemplo internacional de geração de energia limpa e renovável devemos adotar medidas simples e eficientes para economizarmos energia elétrica.

A opção brasileira pelas usinas hidrelétricas se deve principalmente pela abundância de recursos hídricos; são mais de 12 mil rios no território nacional e segundo o Ministério de Minas e Energia, apenas 28,2% desse potencial é aproveitado.

Ainda segundo o Ministério de Minas e Energia, grande parte das hidrelétricas brasileiras não possui um reservatório que permita o armazenamento da água, fazendo com que sua capacidade de geração dependa exclusivamente da vazão do rio que, por sua vez, depende do regime de chuvas.

A melhoria da eficiência energética em edificações além da redução de despesas operacionais,traduz-se num importante mecanismo de política pública para a gestão sustentável dos recursos naturais com vistas a promoção do crescimento econômico.

Então vamos a algumas orientações.

Iluminação de ambientes

As novas tecnologias veem no mostrando que a lâmpada incandescente deve ser substituída a fim de economizar energia sem perder a qualidade de iluminamento, uma vez que até 20% do consumo de energia de um ambiente esta relacionado com a iluminação dos ambientes.

Segundo dados das fabricantes Osram e Philips, de toda energia fornecida para o funcionamento de lâmpadas incandescentes e também as halógenas, somente de 15% a 20% é efetivamente transformada em luz, a maior parte da energia é perdida para o ambiente na forma de calor.

As lâmpadas fluorescentes possuem maior eficiência por emitir mais energia nhoras de funcionamento, isto é, 10 (dez) vezes mais que as incandescentes comuns.

Instaladas em locais em que permaneçam acesas por mais de 3 horas diárias com poucas interrupções, chegam a durar até 15 mil horas de funcionamento.

Atualmente se substitui as lâmpadas fluorescentes tubulares, de residênciais ou comércio, de 40W de potência e 1,20 m por outra fluorescente tubular de 32 W; e as de 20 W e 60 cm podem ser substituídas por outra de 18 W ou 16 W de mesmo comprimento.

Os reatores eletrônicos de alta frequência aumentam a eficiência das lâmpadas fluorescentes, substituindo assim, os reatores eletromagnéticos convencionais e starters.

Em decoração de residências e de lojas, por exemplo, usa-se bastante lâmpadas dicróicas, as quais direcionam o faixo de luz destacando paredes, texturas ou quadros; em lojas iluminas as vitrines dando grande destaque aos produtos. Porém estas lâmpadas podem ser substituídas por LEDs, os diodos emissores de luz.

As dicróicas de 30 W ou 50 W podem ser substituídas, por exemplo, por 20 lâmpadas LEDs de 1 W, as quais economizam até 50% de energia. 





Chuveiros elétricos

Segundo o Ministério de Minas e Energia, os chuveiros consomem 8% da energia elétrica produzida no país, então a economia de recursos financeiros obtida pelo usuário na fase de instalação do chuveiro se reverte na necessidade de grandes investimentos públicos em geração transmissão e distribuição de energia e também no aumento na conta mensal do próprio consumidor que apesar de muitas campanhas recomendarem que o banho não ultrapasse os 10 minutos, ele acaba se estendendo até por mais de 20 de duração, sendo ainda que parte considerável de seus usuários está habituada a tomar mais de um banho por dia.

Regulador de temperatura para chuveiro elétrico: dispositivo eletrônico regulador de corrente. 

Dispositivo eletrônico de custo similar ao de um chuveiro elétrico comum, instalado junto aos fios elétricos que alimentam o chuveiro permite que se varie a corrente fornecida ao chuveiro, funciona como um “dimmer” onde de forma segura pode-se variar a temperatura da água durante o banho, somente girando o botão do aparelho que fica numa haste dentro do próprio Box, sem a necessidade de se abrir o registro da água, desta forma o equipamento pode proporcionar economia de energia e também de água.

Na prática, a economia é relevante se o usuário se conscientizar e optar por um banho de menor vazão de água.




Áreas externas

Substituir os refletores com lâmpadas incandescentes por lâmpadas halógenas palito, que são incandescentes também, porém com maior potência e vida útil maior, mas se for uma área iluminada continuamente, usar as fluorescentes compactas.

Chuveiros elétricos

Segundo o Ministério de Minas e Energia, os chuveiros consomem 8% da energia elétrica produzida no país, então a economia de recursos financeiros obtida pelo usuário na fase de instalação do chuveiro se reverte na necessidade de grandes investimentos públicos em geração transmissão e
distribuição de energia e também no aumento na conta mensal do próprio consumidor que apesar de muitas campanhas recomendarem que o banho não ultrapasse os 10 minutos, ele acaba se estendendo até por mais de 20 de duração, sendo ainda que parte considerável de seus usuários está habituada a tomar mais de um banho por dia.

Regulador de temperatura para chuveiro elétrico: dispositivo eletrônico regulador de corrente. 

Dispositivo eletrônico de custo similar ao de um chuveiro elétrico comum, instalado junto aos fios elétricos que alimentam o chuveiro permite que se varie a corrente fornecida ao chuveiro, funciona como um “dimmer” onde de forma segura pode-se variar a temperatura da água durante o banho, somente girando o botão do aparelho que fica numa haste dentro do próprio Box, sem a necessidade de se abrir o registro da água, desta forma o equipamento pode proporcionar economia de energia e também de água.

Na prática, a economia é relevante se o usuário se conscientizar e optar por um banho de menor vazão de água.

Fonte: Ministério de Minas e Energia